Catarina Vargues Conceição – Psicóloga Clínica


Deixe um comentário

Consumo excessivo

Vivemos na era do consumo e, por vezes, nem nos apercebemos como este pode ser fácil e instantâneo.

No entanto, quando excessivo, o consumo pode desvendar a carência de alguns alimentos psicológicos importantes.

O acto de adquirir bens, ou mais ou menos úteis, mas em excesso para as reais necessidades, leva-nos muitas vezes à acumulação, “enchendo-nos” de coisas, objectos que cumprem o propósito inicial de nos proporcionar prazer.

Não raras vezes, este prazer dá lugar ao consumo repetido, perante a dificuldade em impor limites ou, mesmo, perante a ausência de vontade para fazê-lo.

Os consumos excessivos, em frequência e quantidade, estão frequentemente associados a vivências de ansiedade, dor ou vazio emocional.

O adquirir pode ser uma forma de estimulação que, contudo, pode também dar lugar à culpa e à frustração, à manutenção da ansiedade ou dor.

Nestas, e noutras situações em que nos voltamos para o exterior, o mundo interno continua à nossa espera. Os nossos pensamentos e emoções.

Quando assim é, nem sempre é fácil fazer o movimento de regresso ao interior, ao ser e ao criar, estabelecendo limites ao ter.

Saiba por isso que um Psicólogo o pode ajudar a criar caminhos de volta até si.