Catarina Vargues Conceição – Psicóloga Clínica


Deixe um comentário

Aqui e Agora

É incrível a facilidade com que nos dispersamos nos nossos caminhos diários, tendencialmente rotineiros, pensando sobre as mais diversas questões.

Aquele percurso, aquela tarefa, aquela acção repetidos centenas de vezes, todos os dias, todas as semanas, como se já o(a)s soubéssemos de cor.

O nosso funcionamento automático sabe-o de cor, poupando-nos algumas chatices, e então reunimos recursos para ir pensando outras coisas enquanto funcionamos em piloto automático.

Há qualquer coisa de eficiente nisto, talvez, às vezes, mas…e se não for?

E se parássemos um pouco?

E se parássemos para reparar, observar mais aquele percurso tantas vezes repetido e, talvez, pouco usufruído?

É tão incrível a facilidade com que nos deixamos guiar por automatismos aprendidos que muitas vezes, muito tempo depois, reparamos naquele pormenor, naquele detalhe que nunca tínhamos visto.

Até nos perguntamos: Mas aquilo já estava ali?!

Grande parte das vezes, a resposta é Sim, já estava.

Mas para estar lá (para Mim), é preciso que Eu veja.

Que Eu pare e Me permita ver o Aqui e Agora.

Experienciar  a vida no aqui e agora é uma forma de cuidar (mais) de si.

Comece agora! 


Deixe um comentário

Novidade

A par de outros alimentos, a novidade é um alimento psicológico nutritivo que importa ser lembrado.

Introduzir novidade e mudança é algo que muitas vezes apreciamos e que nos permite quebrar rotinas e percepções de que é “sempre tudo igual”.

Esta novidade é importante pois permite-nos explorar potencialidades e pôr em marcha novas experiências.

Curiosamente, nem sempre estamos receptivos a este lado diferente, que nos levaria a expandir a chamada zona de conforto.

Ficamos numa encruzilhada na qual ninguém mais do que o próprio é responsável pelas suas escolhas. Escolher continuar o velho ou introduzir o novo.

Contudo, muitas vezes, esta não tem que ser uma escolha radical, podendo ser integradas pequenas mudanças nas rotinas, interacções ou actividades que já conhece.

É possível introduzir o novo em pequenas porções, gradualmente, expandir passo a passo e momento a momento para além do que já é familiar.

Estas mudanças podem até estar muito perto de si, se se permitir ver com um olhar diferente as mesmas situações, experiências e circunstâncias.

Cada momento é necessariamente novo e diferente, se atendermos aos seus detalhes, também eles necessariamente diferentes.

Por vezes é difícil ver com outros olhos ou mesmo tomar consciência de que a mudança é, nesse momento, um alimento em falta.

Quando assim é, um Psicólogo Clínico pode ajudá-lo nesta tomada de consciência ou na iniciativa de agir a mudança que realmente quer para si.


1 comentário

Estar com o momento

Neste momento em que a maioria das pessoas se alimenta de natal, porque não falar sobre um alimento psicológico importante nesta quadra.

Este alimento contém as vitaminas de estar com a  experiência do momento.

Talvez já tenha dado por si em viagens que o levaram para momentos que não pertencem ao presente.  

Em pensamentos sobre o futuro ou sobre o passado. Em julgamentos sobre os outros, sobre o mundo ou sobre si mesmo.

Neste natal, e porque não nos restantes dias do ano, dedique-se a saborear por um momento a sua refeição.

Note a forma como se expressa ou silencia. Note também a forma como os outros se expressam ou silenciam.

Sinta o ar quente ou fresco no rosto.

Deixe-se fluir, aceitando o que de mais triste e alegre há hoje em si e em seu redor.

Esteja com os outros como se fosse a primeira vez. 

Experimente olhar com curiosidade para si mesmo. Já reparou como muitas vezes tende a pensar que não há nada de curioso ou novo em si?

Olhe mais uma vez.

Esteja (consigo) em cada momento.